minha história de amor

Bom dia, gente! Tudo bem com vocês? Depois de pensar muito resolvi fazer um post diferente, bem mais íntimo e decidi contar um pouco para vocês sobre a história do nascimento do Dylan.

Quando estava grávida, eu lia histórias de nascimentos e confesso que odiava. A maioria das pessoas gostam de contar o que de pior aconteceu, como sofreu, como foi ruim, como doeu. Chegou uma hora que eu simplesmente não lia mais e jurava que não escreveria, principalmente se meu parto fosse algo fora do normal. Eu sempre quis falar a verdade, mas sem assustar ninguém. Eu não tive um parto louco, tive um parto único, como todos são, mas nada de história de terror!

8:30am – No dia 28 de Julho eu tinha minha consulta de 39 semanas na obstetra. Tinha marcado a consulta pra cedo porque daí meu marido poderia ir junto. Me arrumei toda linda com o único vestido que me servia e fomos. Durante o exame a minha médica disse que eu já estava com 4cm e não acreditava que eu estava tão bem, sem sentir nada haha.  Eu estava super cansada e não muito confortável há algumas semanas já, mas não estava sentindo nada de diferente.

Desde o começo da minha gravidez queria parto normal, mas não tinha me informado muito. Aos poucos fui lendo mais, me informando e vi que eu queria muito tentar um parto natural, sem nenhuma anestesia ou nada. Eu digo tentar porque a gente nunca sabe o que pode acontecer. Então estava decidido que eu tentaria o melhor que pudesse, e se não desse, usaria anestesia. O hospital que eu teria o bebê não aceita partos em banheira, então isso nem se passou pela minha cabeça. Aqui você escolhe o médico e vai no hospital em que eles atendem e não ao contrário.

Mas voltando ao parto natural… Eu me preparei, especialmente pscicologicamente para isso, li tudo que podia, estudei, fiz exercícios e parei de ler as histórias de horror que a internet linda nos proporciona! Contratamos uma doula e isso foi essencial, conversei com a minha médica e ficamos “na mesma página.” Ela me ajudaria com o parto natural, principalmente se a dilatação estivesse indo rápido, mesmo se eu estivesse morrendo de dor, haha. Meu marido também sempre me apoiou nessa decisão desde o começo. Acho que essa rede de suporte é o mais importante quando você decide o parto que for. Muito importante você saber o que quer, se informar e ter pessoas ao seu redor te apoiando e sabendo do seu “plano”.

Enfim, depois da médica me avisar que eu já estava com 4cm, ela fez o descolamento de membrana e pediu para eu ir caminhar pela vizinhança por 1 hora. Não deixou eu voltar pra casa (o consultório dela é perto do hospital e longe da minha casa). Andei pelas ruas com meu marido em um calor terrível, paramos para tomar café da manhã e eu comi muito (pão com ovo e queijo, bem básico haha pois sabia que no hospital não poderia comer assim) e liguei pra ela. Eu já estava sentindo uma pressão pequena, um desconforto e uma vontadezinha estranha de ir no banheiro haha. Ela disse pra eu encontrá-la no hospital e eu fui andando pra lá (estava há umas 10 quadras do hospital)

IMG_0775IMG_0782

11:oo  – Cheguei no hospital e estava com 5cm. Fui internada, monitorada, sem anestesia. Minha doula já estava lá, meu marido, minha cunhada, minha melhor amiga com a camera na mão para não deixar passar nada em branco, haha. Uma dica, tirem fotos, de tudo, com ou sem dor, pois você vai querer ver depois. Eu não tinha planejado em tirar fotos, mas fiquei tão feliz que a minha amiga Sandra tirou fotos de, literalmente, tudo. Infelizmente, só isso que eu tenho coragem de postar aqui!! 😉

13:30 – 6cm e nada da minha bolsa estourar. Eu estava OK ainda, mas a médica decidiu estourar a minha bolsa e a “festa” comecou. Assim que a bolsa estourou as contrações começaram a vir sem parar,  muito forte e eu tinha mais ou menos 1 minuto entre uma e outra. Como não estava com anestesia, eu pude tomar banho para tentar relaxar (não resolveu, mas me distraiu), pude ficar em posições diferentes, tentar andar, dançar, mas nessas horas eu juro que nada resolve muito. Hoje eu não consigo descrever como é a dor, eu esqueci, mas confesso que passou pela minha cabeça várias vezes pedir anestesia, pedir cesárea, pedir um shot de tequila das mais fortes, qualquer coisa. Eu não pedi nada, não contei nada pra ninguém até depois. Ao invés disso eu apertei a mão de todo mundo, eu chorei, reclamei, ri, bati papo, tentei ver TV, tentei de tudo.  Estava indo tudo tão rápido que eu sabia que logo acabaria. Eu tentava focar no final o tempo todo, na carinha do meu bebê (eu não sabia o sexo) que iria conhecer. Eu não via a hora de começar a fazer força pra isso acabar rápido.

IMG_0774

IMG_0776

16:30 – Showtime!!! Estava com 10cm e podia comecar a empurrar. Juro, achei que fosse demorar uns 30 minutos no máximo.  Sonho meu. Eu estava com dor, eu estava pronta. Contração dói, mas empurrar cansa. E é bem isso, fazer força é muito cansativo, não doia, mas eu fiquei tão exausata que não tem como explicar.  Acontece que o Mr. Dylan estava com as mãos no rosto e queria sair assim. Isso dificultou horrores, mas não foi impossível. Tentamos milhões de posições diferentes pra ele nascer (pode pensar em qualquer posição, eu tentei) pra ficar mais fácil e acabou que a mais confortável pra mim era a mais confortável pra ele também, que foi meio que sentada na cama, eu mesmo segurando as minhas pernas. Pensa na cena… ou melhor, não pensa!

As minhas contrações estavam vindo a cada 30 segundos. Eu fazia força e com os 30 segundos que eu tinha, dormia!! Sem brincadeira. Isso era cansaço, mas a gente acha energia não sei de onde para fazer força outra vez.

18:38 – Isso mesmo, 2.5hrs depois de comecar a fazer força ele nasceu. Ele não veio direto para o meu colo porque do mesmo jeito que eu tive que fazer muita força, ele também teve! Então precisou de uma ajuda pequena para respirar e foi levado para a UTI para ser monitorado, mas já estava respirando sozinho. Confesso que meu instinto materno nasceu junto com ele, porque apesar de ficar triste que ele não veio para o meu colo e tudo mais, eu sabia que estava tudo bem.

IMG_5709

Saí da sala de parto andando, devagar, mas andando. O parto todo doeu? Sim, muito, não tem como explicar. Eu faria tudo outra vez? Sem pensar duas vezes! Eu faria tudo outra vez, do mesmo jeito. O parto normal vem cheio coisas que ninguém te conta (você sangra horrores depois, tem hemorroida que vem, tive umas pipoquinhas no corpo todo de tanta força que eu fiz, teve várias coisas nojentas que vêm tb quando você faz força, todo mundo vê você na posição e estado mais glamuroso da sua vida), mas tudo isso passa e o melhor é que passa MUITO rápido!

Como eu disse, me informei muito antes, então sabia que isso aconteceria. Eu sabia da hemorroida (falo mesmo), do sangue, das outras coisas, isso não foi surpresa. Por isso eu falo, eu não quero convencer ninguém a ter o parto natural. Cada um é cada um, mas SE INFORME antes! Não interessa o que você decidir, tenha uma rede de apoio, tenha um médico que você possa conversar, que tenha a mesma visão que você e que, ao mesmo tempo, coloque seu pé no chão se algo der errado.

O Dylan demorar mais de 2 horas pra sair não estava nos “meus planos”, mas foi assim. Eu faria sim tudo outra vez, sem anestesia nenhuma. Fiquei muito mas muito feliz mesmo de ter conseguido o que queria, com algumas mudanças aqui e ali. O Dylan não ficou no quarto comigo até voltarmos pra casa, pois o hospital é bem conservador e eles decidiram deixá-lo na UTI até o dia de ir pra casa. Eu perdi essa conexão que todo mundo diz ter no hospital, não consegui amamentá-lo direito lá ou ficar muito tempo junto dele. Mas tentei dormir ao máximo e descansar lá já que não podia ficar com ele 24hrs. Mas é assim, não existe contos de fadas quando a gente ganha bebê. Cada um tem a sua história, sua jornada, seus motivos e cada história é única. Não foi história de terror, graças a Deus, foi uma história de amor! Muito amor!

Agora a história da nossa primeira semana em casa fica pra outro post. Espero que vocês tenham gostado. Xx

 

Anúncios

22 comentários sobre “minha história de amor

  1. História linda!!!! Um dos dias mais lindos que eu já vivi! Amo vocês!!! Parabéns pelo post e pela coragem e perseverança! Você sempre foi e demonstrou mais uma vez o quanto é guerreira! Orgulho sem fim!

    Sent from my iPhone

    >

  2. Fer que post lindo! Sincero e verdadeiro como você sempre se mostra. Engraçado é que você me passa sempre uma tranquilidade para lidar com as coisas, até as mais lindas e doidas!
    Parabéns pela mãe forte que é E agradeço a confiança por conhecer parte dessa linda história!
    Bj

    1. Ro, obrigada! Não me acho mais ou menos do que nenhuma outra mãe, a diferença é que eu me informei muito e sabia o que queria. Todas as mulheres devem fazer isso assim que engravidam. Beijos

  3. Me deu arrepio de ler a sua historia.. mas arrepio bom, de felicidade! Amiga, voce e’ uma mulher maravilhosa, uma mae abencoada. Obrigada por compartilhar a sua historia, eu nunca gosto de perguntar,mas ler a sua historia em especial, me deixou muito feliz. Viva o Dylan lindo fofo!!! E parabens a mamae e ao papai 🙂

  4. Oi Fê! Muito bacana você compartilhar sua experiência de um momento tão intimo. Senti falta de pessoas que falassem desse lado nada perfeito. Minha médica quando me contava eu não acreditada, pois nunca tinha ouvido de nenhuma mãe o que realmente acontecia durante um parto. Eu queria muito ter tido normal, mas por outro lado estava disposta a encarar uma cesárea caso não estivesse tudo 100%. Na madrugada quando comecei a sentir as contrações liguei para médica e fui para maternidade. Eu estava sem dilatação nenhuma, a bolsa já tinha estourado, eu estava sem líquido e o Bernardo sentado! Tive medo de fazer manobras e fui para cesárea. Acho que certas decisões temos que ser firmes e tenho certeza que fiz a opção certa. Meu pós operatório foi muito tranquilo e assim que ele nasceu veio para os meus braços e mamou. Uma sensação indescritível e que eu nunca imaginei ser tão emocionante. Não saiu do meu lado em nenhum momento e isso me tranquilizou, pois era uma das coisas que tinha mais medo. Deus é tão perfeito que faz as coisas do jeito que podemos suportar!! Grande beijo e parabéns pelo post!

  5. Fer, lindo seu relato de parto!
    Parir foi minha maior realização enquanto mulher. Tbem tive parto natural, humanizado, sem nenhuma intervenção, contratei uma Doula. Como vc disse, não foi tudo perfeito (tive uma mega laceração, até atrás), mas foi meu parto. E tbem faria tudo e tbem não lembro mais da dor. É mta ocitocina!
    Tem um blog cheio de relatos lindos, inclusive o meu, http://www.humanizamaringa.com.br
    Vai lá q tenho ctza q lerá relatos tão verdadeiros e lindos qto o seu!
    Bjo pra vc e para o Dylan,
    Cássia

    1. Cassia, obrigada! Acabei de ir la no site e ler o seu relato também. Achei lindo, me arrepiei. E é isso mesmo, a gente esquece, ne? A natureza é tão perfeita. Beijos pra você e para o seu Diego.

  6. Hi, lindo demais seu relato sobre seu parto. Me emocionei….E o mais importante é ter seu filhote lindo com saúde e essa rede de apoio que vc teve e ainda tem…Parabéns!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s